• Fernand Lodi

Aprendizado e solidariedade marcaram os últimos 12 meses de trabalho da FIEMG


A pandemia afetou profundamente o modo de vida que conhecemos e a Federação mineira não se furtou em trabalhar para que os impactos não fossem tão duros na vida dos cidadãos

O ano de 2020 foi marcado pela Covid-19, uma doença provocada por um então desconhecido vírus chamado de Sars-CoV-2, o novo coronavírus, que abalou os cinco continentes ao se espalhar de forma rápida e ampla pelo mundo. Após 12 meses da doença em solo brasileiro, com a primeira confirmação em 26 de fevereiro de 2020, já foram infectadas mais de 10 milhões de pessoas, com 250 mil mortes no Brasil*.


Em Minas, a primeira confirmação aconteceu em 6 de março e os números também assustam: são 852 mil casos confirmados e 18 mil óbitos**. O impacto na vida das pessoas tem sido enorme, além do medo pela saúde e a perda de entes queridos, o desemprego e a redução ou mesmo a falta de renda tem tirado o sono de muita gente.

Neste contexto de incertezas e medo, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) concentrou esforços para mobilizar as indústrias do estado a se unirem em favor da vida em uma campanha solidária para reforçar os serviços públicos de saúde, disseminar medidas educativas para conter a proliferação do vírus e ainda atuou no diálogo com o Poder Público para a elaboração de medidas que contribuíssem para a preservação dos empregos neste momento tão desafiador.

"O nosso trabalho nos últimos 12 meses mostra a força da união da indústria mineira, que, liderada pela FIEMG, viabilizou recursos para diversos projetos que atendem demandas que surgiram diante da pandemia. Foram meses que trouxeram um intenso aprendizado na área da medicina, na ciência, na educação e para todos nós enquanto cidadãos, que tivemos que mudar muitos dos nossos hábitos. Ainda temos várias perguntas, mas certamente estamos mais preparados para que, nos próximos 12 meses, nós possamos ter grandes avanços rumo uma vida melhor pós-pandemia”, pontua Flávio Roscoe, presidente da entidade.

Preservação da vida e reforço da saúde pública

A principal luz no fim do túnel desta pandemia, certamente é a vacinação em massa da população. Para estimular o desenvolvimento de pesquisas que buscam mais opções de vacinas para proteger a população contra a Covid-19, a FIEMG abraçou a causa e se uniu a empresas brasileiras que estão contribuindo para o desenvolvimento de um imunizante que ganhou o nome de UB-612. Elaborada pela Covaxx, uma unidade da United Biomedical, empresa internacional com unidades nos EUA, China e Taiwan, a vacina terá estudos clínicos no Brasil, conduzidos pelo laboratório Diagnósticos da América (Dasa).


Para reforçar o sistema público de saúde, a FIEMG, que doou cerca de 1.600 ventiladores pulmonares e equipamentos de leitos hospitalares para centenas de cidades de todo o estado. Foram distribuídos 1.428 respiradores para 268 municípios e 166 leitos distribuídos em as 12 regionais que contemplam todo o grande estado mineiro. Mas os equipamentos, essenciais para salvar a vida de pacientes com dificuldades respiratórias, beneficiarão também brasileiros de outros estados.

Para a Bahia, Goiás, Mato Grosso, Paraíba e Tocantins, foram doados 19 ventiladores pulmonares, de acordo com a indicação das indústrias parceiras que contribuíram com o financiamento que viabilizou toda a produção e compra dos respiradores. Outros 100 equipamentos foram doados ao governo federal. Os ventiladores pulmonares doados foram idealizados e produzidos pela Inspirar, uma Health Tech da empresa mineira Tacom, que contou com o apoio da FIEMG para o desenvolvimento do produto.

O SENAI produziu e doou, em larga escala, itens fundamentais para a proteção da população. Foram 180 mil litros álcool glicerinado 70%, resultado da parceria entre Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a SIAMIG, 1,6 milhões de máscaras cirúrgicas, 12 mil de tecido, 10 mil máscaras Face Shield e 11 mil jalecos. Foram produzidos também 1.988 conjuntos de válvulas e 12.827 pistões para a fabricação dos ventiladores mecânicos do projeto Inspirar. Em parceria com a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e a empresa Supress, o SENAI apoiou municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) na desinfecção de ruas. Betim, Contagem e Ibirité foram atendidos pela ação.

O SESI adquiriu milhares de testes rápidos para identificação de Covid-19 para trabalhadores da indústria e a população mineira. A entidade comercializa os testes com os menores valores de mercado. Com a testagem em massa é possível planejar as melhores estratégias e analisar a real proliferação da doença entre as pessoas.

Articulação com o Poder Público

O diálogo constantemente e proativo com os governos federal e estadual, sugerindo diversas ações nas áreas trabalhista, tributária, ambiental, de acesso ao crédito e de energia, também foram liderados pela FIEMG. Destaca-se as Medidas Provisórias 927 e 936, que preservaram, somente em Minas Gerais, mais de 300 mil empregos, que contou com atuação direta da entidade na negociação de soluções que trouxeram alento à indústria e aos trabalhadores.

A atividade da indústria ser considerada essencial pelo Estado, permitindo a continuidade dos trabalhos de forma responsável, desde o começo da pandemia, também foi uma articulação da FIEMG com o governo de Minas Gerais, além da sensibilização da prorrogação e suspensão de prazos para pagamentos de tributos. Esses pleitos do setor industrial contribuirão para a retomada do crescimento sustentável do país.

*número de casos em 25/02/21, de acordo com o site www.covid.saude.gov.br ,do Ministérioda Saúde.

**números de casos em 25/02/21, de acordo com o www.coronavirus.saude.mg.gov.br, daSecretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram