• Fernand Lodi

Circuito Educacional encerra ciclo de palestras com profissionais da educação



Fundação Aperam Acesita capacita educadores do Vale do Aço e Jequitinhonha


Na última semana a Fundação Aperam Acesita encerrou uma série de encontros com os profissionais da educação, o Circuito Educacional, que integra o Programa Melhoria da Qualidade do Ensino.


A iniciativa teve como objetivo colocar em pauta temas atuais, estimulando diálogos e reflexões sobre esses assuntos entre educadores e palestrantes.


Os encontros deram continuidade às atividades iniciadas de forma on-line no ano passado junto à comunidade escolar.


“O Programa Melhoria da Qualidade do Ensino está sempre em movimento e é caracterizado exatamente como um processo contínuo, reconhecendo, oportunizando e estimulando práticas e temas educacionais inovadores, alinhados com as diretrizes das esferas federal, estadual e municipal”, pontua o presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Vitorino.


Os encontros contaram com a presença de cerca de 50 profissionais do Vale do Aço e Jequitinhonha.


As trocas foram mediadas pela doutoranda em Psicologia Social, Marli Andrade, que iniciou os trabalhos em parceria com o Programa Melhoria da Qualidade do Ensino em 2018.


“Acompanhar e participar do compromisso da Fundação Aperam com a educação é sempre uma experiência gratificante. Os desafios enfrentados pelos profissionais da Educação se agigantam com os impactos da pandemia, portanto, contar com o Programa Melhoria da Qualidade do Ensino é uma oportunidade de identificação das estratégias para minimizá-los”, analisa Marli.


Entre os participantes do Circuito Educacional, estava a veterana Maria Terezinha Soares Lima, que atua há 35 anos na área da educação.


“O Circuito foi de excelente qualidade e eficácia, além de agregar muito à minha rotina educacional. O curso superou minhas expectativas, com conteúdo coeso, exemplos reais e didáticos. Por meio do curso, pude vislumbrar possibilidades e alternativas para melhorar minha prática educativa”, enfatiza.


A pedagoga Odalia Ferreira da Silva Oliveira também participou dos encontros. Há 21 anos atuando com alfabetização e nos anos iniciais do ensino fundamental, ela destaca a oportunidade de agregar mais conhecimentos ao seu repertório.


“Acredito que a aprendizagem é dinâmica e nos enriquece como seres pensantes. No último ano tivemos que nos reinventar como profissionais para nos adequarmos à realidade que a pandemia impôs. Nesse sentido, todas as contribuições teóricas e práticas das palestrantes foram muito bem-vindas e necessárias para estarmos atualizados nesta era digital, que proporcionou continuarmos com os nossos trabalhos mesmo com o distanciamento social”, conclui


Uma das temáticas abordadas foram as metodologias ativas, que foi conduzida pela professora Mairone Sá, que atua com treinamento de foco, atenção e iniciação à cultura digital de adultos.

“Neste período de isolamento social estamos vivendo a sala de aula dentro de casa, com isso, têm sido utilizadas as metodologias ativas que são meios inovadores de se educar. A troca de experiências entre as três palestras se complementaram no sentido do autoconhecimento do educador. Elas se convergiram e potencializaram o aprendizado do grupo”, finaliza Mairone.