• Fernand Lodi

Dramaturgo Beto Oliveira contemplado em Prêmio Nacional de Literatura



O psicanalista, poeta e dramaturgo ipatinguense, Beto Oliveira foi contemplado pelo Concurso Nacional de Literatura “Prêmio Cidade Belo Horizonte”, de 2019. Beto Oliveira concorreu com a comédia “O Chiste” e levou o prêmio único da categoria Dramaturgia.


Não é a primeira vez que o artista é premiado. Em 2006 ele ficou em primeiro lugar do “Concurso Literário da Academia Rotária do Distrito 4520”, em Ouro Preto, na categoria Contos. Em 2010 foi vencedor do “Concurso Nacional de Contos de Humor”, do Grupo Farroupilha, com o conto “Arquivo Vivo da Prefeitura”, que foi posteriormente adaptado para o espetáculo “O Arquivo Vivo”, também do Grupo Farroupilha.


Em 2014 Beto Oliveira ganhou o segundo lugar da região Sudeste no “Prêmio Funarte de Dramaturgia”, com a peça “As Cornucópias da Fortuna”, publicada em livro pela editora Gisotri, de São Paulo. E recentemente foi contemplado na “1ª Mostra de Dramaturgia do Vale do Aço” com a peça infantil “Vaga Luz”.


Beto Oliveira também é autor do romance “O dia em que conheci Sophia” e dramaturgo das peças “A família de Arthur”, “Chapeuzinhovermelho.com”, “Periquito Australiano”, “Antes que o fogo apague”, entre outras.


O CHISTE


A peça vencedora é inspirada em um chiste húngaro recolhido por Sigmund Freud e publicado em 1905 no livro “Os Chistes e sua Relação com o Inconsciente”.


O autor ambientalizou o chiste em Öntudatlan, uma pequeníssima e fictícia aldeia perdida no Império Austro-Húngaro, mais ou menos dez anos antes do assassinato do Arquiduque Francisco Ferdinando em Sarajevo.


A história conta o dramático imbróglio em que se meteram os habitantes da fictícia cidade diante do assassinato de uma mulher.


“Misturando elementos cômicos, alguns retirados da própria obra de Freud, com a dramaticidade de uma justiça absurda que se converte em injustiça, a peça traça uma caricatura do governo que usa a lei segundo seus interesses e conveniências”, explica Beto Oliveira.


Ainda segundo o dramaturgo, o chiste consiste em um jogo de palavras que revela uma verdade mais ou menos oculta: “O mérito de Freud foi perceber que a risada provocada por um chiste se deve a liberação dessa verdade, quando nos desobrigamos do esforço em ocultá-la”, completa o autor.


PRÊMIO


Promovido pela Fundação Municipal de Cultura do Município Belo Horizonte, o concurso nacional de literatura “Prêmio Cidade de Belo Horizonte - Edição 2019”, foi aberto para autores brasileiros natos ou naturalizados e aos estrangeiros residentes no país com o objetivo de premiar duas obras inéditas nas categorias Romance e Dramaturgia.


Concorreram autores de todo o país e, embora o edital tenha sido aberto em 2019, o resultado só foi homologado no Diário Oficial do Município em outubro de 2021 devido a algumas interposições de recurso.


Os autores das duas únicas obras premiadas, nas categorias Romance e Dramaturgia, receberão, cada um, o prêmio de R$ 25 mil reais.

  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram