top of page
  • Foto do escritorFernand Lodi

Feira de Educação Empreendedora reúne cerca de 10 mil pessoas em Ipatinga



Em parceria entre Prefeitura de Ipatinga e Sebrae Minas, iniciativa teve exposição de projetos desenvolvidos por estudantes


Cerca de dez mil pessoas prestigiaram a feira Empreendedores do Futuro, realizada no último sábado (22/10), no estacionamento do Ipatingão, em uma parceria entre o Sebrae Minas e a Prefeitura de Ipatinga por meio da secretaria de Educação.


A iniciativa é resultado da consolidação do curso “Jovens Empreendedores Primeiros Passos” realizado com os professores de toda a rede municipal, em uma proposta direcionada para alunos do ensino fundamental e para a Educação de Jovens Adultos (EJA).


O intuito é estimular a criatividade, novas aprendizagens e o desenvolvimento do espírito de coletividade e das habilidades empreendedoras.


Nos 53 estandes, foram apresentados projetos envolvendo a educação empreendedora desenvolvidos nas 50 escolas municipais, o Centro de Atendimento Multidisciplinar (CENAM) e os três polos de Educação Integral.


A abertura contou com apresentação cultural realizada por alunos das escolas municipais João Reis de Souza e Maria da Conceição Pena Rocha. O grupo Dama Espaço Cultural também foi uma das atrações, com exibição de uma intervenção teatral.


O prefeito Gustavo Nunes destacou a magnitude do evento e a presença dos alunos em iniciativas de educação empreendedora.


“A visita aos estandes onde estiveram expostos os projetos desenvolvidos pelos professores e estudantes da rede municipal nos faz ter a certeza de que estamos no caminho certo, reconhecendo o potencial empreendedor dos nossos pequenos”, afirma o prefeito.


Disciplina e envolvimento


Uma das iniciativas apresentadas foi o projeto “Moeda Bem”, desenvolvido por alunos do 5º ano da Escola Municipal Everson Magalhães.


A ideia visa incentivar o bom comportamento escolar e envolvimento da família, por meio de uma bonificação que acontece de acordo com resultados.


Foram criadas tarefas como: participar das aulas, levar o material, fazer o dever de casa. A turma é recompensada por uma moeda com identidade criada pelos próprios alunos. O “saldo positivo” é utilizado para proporcionar momentos de lazer, como a troca por ingressos para cinema, aquisição de guloseimas, entre outras atividades.


As professoras desenvolveram uma tabela com as ações mais importantes a serem cumpridas pelos alunos e, todas as sextas-feiras, há o balanço semanal e a distribuição da moeda simbólica.

Para a realização das ações, a escola conta com a colaboração financeira de professores, pais e responsáveis. No final de 2022, um bazar também será realizado na escola para arrecadar fundos para a realização das atividades.


A ação permite que os alunos vivenciem diversas habilidades empresadoras, como: organização, disciplina, planejamento, negociação e protagonismo.


“Nós identificamos que os estudantes estavam muito indisciplinados e desmotivados e, por meio da iniciativa, vemos que eles têm se engajado mais nas aulas e nas atividades propostas”, relata a professora Mariane Nunes, ressaltando que o projeto também contribuiu para o aprendizado sobre a educação financeira.


Mãe da estudante Isabelly Rodrigues, Liliane Rodrigues disse perceber mudanças positivas no comportamento da filha quanto à disciplina e participação.


“Ela nunca havia demonstrado muito interesse no ambiente escolar. Agora, está muito mais dedicada e empolgada nas atividades propostas pelos professores”, conta a mãe da estudante.


Música e meio ambiente


Outro projeto apresentado ao público foi o “Canta Comigo”, do Centro de Atendimento Multidisciplinar (CENAM), que atende alunos do ensino regular e da educação especial (AEE). A ideia propõe uma abordagem diferenciada na aprendizagem dos alunos da educação especial por meio do incentivo à musicalização.


“Trabalhamos com crianças que têm bastante dificuldade na fala e na escrita. Neste projeto, os estudantes criam as próprias músicas e podem se expressar livremente. Dessa forma, eles aprendem a superar as próprias dificuldades”, relata a professora Josenilda Nery.


A educação ambiental foi o aspecto abordado pelos estudantes da Escola Municipal João Reis de Souza. O projeto “Compostagem na escola – o poder da transformação” trabalhou a reciclagem do lixo orgânico e sua transformação em adubo natural para uso na agricultura, substituindo produtos químicos.


Uma das participantes assíduas da iniciativa, Kauany Talita, de 13 anos, contou que os alunos se envolveram em todo o processo.


“Nós começamos recolhendo garrafas pet e pesquisando sobre como fazer a compostagem. Após aprendermos a teoria, partimos para a prática, colhendo folhas e utilizando restos de alimentos na escola para a preparação do adubo. Gostei muito, porque é uma ação que contribui para a preservação do meio ambiente e para a nossa saúde”, explica a aluna.


Expectativas superadas


Para a analista do Sebrae Minas Vanessa Silva as expectativas quanto à feira foram superadas. “É gratificante ver um projeto de educação empreendedora realizado com tanta dedicação ser tão bem recebido por toda a comunidade. É uma evidência de que estamos no caminho certo para o fortalecimento de uma nova cultura. É preciso ressaltar os benefícios da educação empreendedora para a transformação de realidades, garantindo a capacitação dos professores e de todos os profissionais da educação, e considerando as individualidades de cada aluno, tendo como objetivo principal potencializar os talentos”, ressalta.


A secretária municipal de Educação de Ipatinga, Patrícia Avelar, destacou que os benefícios do programa são notáveis.


“Procuramos desenvolver com nossos alunos uma educação inclusiva, que vai 'além dos muros'. A feira foi uma excelente oportunidade de trazer a sociedade para participar das ações com professores e alunos. Nosso governo, em parceria com o Sebrae Minas, busca uma formação continuada que, além de levar um aprendizado diferenciado para a sala de aula, também amplia o plano de carreira do educador”, explica.


Educação Empreendedora em Ipatinga


O PNEE foi implementado na rede municipal de ensino de Ipatinga por meio da Lei da Educação Empreendedora (Lei nº 4.312, de 26 de janeiro de 2022).


O objetivo é capacitar os professores para o desenvolvimento de novas metodologias de ensino, inserindo o tema empreendedorismo de forma transversal, com aplicação junto às disciplinas existentes na base do Ensino Fundamental e como grade curricular na Educação Integral.

De janeiro a setembro deste ano, foram capacitados 17.544 professores e 54.474 estudantes em todo o estado de Minas Gerais.


A regional Rio Doce e Vale do Aço do Sebrae Minas registra o maior número de professores capacitados: 3.737. Além disso, em Ipatinga são mais de 2500 profissionais de educação, 20 mil alunos impactados e 50 unidades da rede municipal de educação parceiras do programa.


Assessoria de Imprensa – Prefácio Comunicação

Lais Carvalho – (31) 99520-5254

Comments


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
bottom of page