• Fernand Lodi

Hibridus dança na Semana da Criança em São Paulo



Espetáculo Infantil do grupo Hibridus Dança na semana da criança em São Paulo


Novo trabalho artístico do Hibridus dança, dirigido por Tuca Pinheiro, ‘Coisa é Tudo’, será apresentado no próximo dia 19 de outubro, no SESC Santo amaro, em São Paulo, dentro da programação do projeto Arte para Todos no mês da criança.


É a segunda vez que o grupo ipatinguense se apresenta no Sesc Santo Amaro. No ano passado o grupo apresentou o espetáculo Solos Hibridus no projeto Modos de Existir.


O espetáculo ‘Coisa é Tudo’ é o resultado de um compartilhamento do coletivo Hibridus e extensão do projeto "ENARTICinho". Muito mais que um projeto coreográfico, é um "projeto de conversas" com o público infantil. Conversas que acontecem no corpo e através do corpo.


Partindo das experiências subjetivas dos intérpretes/criadores do Hibridus, tem como proposta estabelecer um vínculo com o público de forma horizontal e democrática, em que a escrita coreográfica tem como prioridade a fruição desse público infantil e a respectiva conexão com a família, com o outro, com as coisas e com o tempo das coisas.


Essa “escrita coreográfica” aborda questões que dialogam com a contemporaneidade: memória, empoderamento, diversidade, tolerância e aceitação com as diferenças, resistência. O direito à infância como o tempo de construir novas possibilidades, novas poéticas.


Um projeto concreto que não se distancia do lúdico, do fantástico, e pensa a dança como uma estratégia de convivência e comunhão permeada pela tolerância, generosidade, afetos, sem apontar verdades absolutas.


Coisa é Tudo


Coisa é tudo o que existe ou que pode ter existência (real, abstrata, imaginária).

Algo que ainda não se sabe o nome específico. E se ainda não tem um nome, pode ser nomeado, pode existir.


Tudo é a maior quantidade possível de coisas. E se essas coisas ainda não existem; podem ser inventadas, podem ser dançadas! Podem voar e conviver sem pré-conceitos e sem preconceitos!

É uma construção e visão de mundo onde todas as coisas ainda são possíveis (ou assim deveriam ser!)! Tudo é o possível! Tudo é a soma das experiências humanas “brincadas”, sem comparativos, durante a infância.


Ficha técnica:


Artistas da dança: Francis Leine Silvestre, Luciano Botelho e Wenderson Godoi

Direção: Tuca Pinheiro

Assistência coreográfica: Patrícia Abreu (Lindinha)

Iluminação: Morrison Deolli

Cenografia e adereços: Hibridus Dança/Maria Cloenes

  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram