top of page
  • Foto do escritorFernand Lodi

Mestres & Tradições é concluído com oficina de Formação Cultural



O projeto Mestres & Tradições acaba de ser concluído com a oficina de Formação Cultural Elaboração de Portfólio, Entendendo Paulo Gustavo e Lei Aldir Blanc II, que foi ministrada pela coordenadora geral do projeto a produtora cultural Marlene da Silva Brum, no Hotel Dom Henrique, parceiro da iniciativa.


Gestores municipais, conselheiros e agentes culturais da Região do Vale do Aço participaram do evento, que objetivou orientar o grupo sobre elaboração de projetos e facilitar o seu acesso a recursos via leis de incentivo à cultura.


A oficina abordou questões relativas à regularização documental dos grupos e de portfólio artístico, seguindo a estrutura obrigatória e importante para a pontuação de projetos que concorrem aos mecanismos disponíveis para captação de verba.


José Santana de Farias, o Mestre Santa de Cocais, um dos participantes da oficina, disse que o evento foi de grande importância para ele e demais alunos.


“É ótimo a gente entender as leis que têm ajudado a gente a manter vivas as tradições. Antes de ter acesso aos recursos captados via editais, ninguém tinha preocupação com documentação dos grupos, nossos grupos não eram reconhecidos pelo seu valor. Agora, a história é outra.


Participamos de projetos e somos vistos em muitos lugares, como na televisão, na internet”.

Para o Mestre Santana, o congado é uma terapia. “Já vimos pessoas chegarem em cadeira de rodas, sem mobilidade. Daí a pouco, começaram a balançar aqui e ali. Por meio da sua fé, passaram a andar”, conta o congadeiro.


Débora Braga Alves, recém-formada pelo Instituto Brasileiro de Teatro e pelo Instituto Usiminas, outra participante da oficina sobre leis de incentivo à cultura, sublinha que os mecanismos de captação de recursos são fundamentais para tornar viáveis a realização de projetos culturais.

“Essa importância ficou mais evidente no período da pandemia, quando as leis emergenciais possibilitaram que os realizadores culturais sobrevivessem. Agora, com iniciativas como esta oficina, todos se sentem mais animados a dar continuidade aos seus projetos. No caso dos congadeiros, fica a certeza de que a tradição vai se fortalecer ainda mais”.


Integrante do Baque Mulher, a produtora cultural frisa que as leis de incentivo à cultura têm sido essenciais para o grupo de maracatu do Vale do Aço, movimento trazido de Recife para Ipatinga dando maior empoderamento as mulheres, completa Débora.


FASES


Mestres & Tradições foi criado buscando fortalecer os grupos de Congados da Região do Vale do Aço, por meio do resgate histórico e da religiosidade das guardas.


O projeto, como destaca Shirley Maclane, produtora do Mestres & Tradições, foi criado com a finalidade de estimular reflexões sobre a relevância dos congados e dos reinados como manifestações que resguardam uma memória ancestral e uma das mais ricas manifestações populares do folclore mineiro.


O projeto Mestres & Tradições foi desenvolvido em três etapas. A primeira, no dia 29 de agosto, no Hotel Dom Henrique, consistiu na realização das oficinas Congadas Mineiras e atividades de religiosidades regionais, ministrada pela historiadora, folclorista e consultora de Cultura Mineira, a ouro-pretana, Deolinda Alice dos Santos; e Patrimônio Imaterial: reconhecimento, direitos e possibilidades, ministrada por Amanda Dabéss de Carvalho, especialista em Patrimônio Cultural na Contemporaneidade, e Monique Avelino Damaso, especialista em Gestão do Patrimônio Histórico e Cultural.


Essas atividades foram destinadas a gestores públicos, conselheiros das áreas de Cultura, Patrimônio e Turismo.


CORTEJO


Na segunda fase do Mestres & Tradições, foi promovida a oficina Preservação e Resgate do Patrimônio Imaterial do Reinado do Rosário e Roda de Conversa com os Mestres também ministrada por Deolinda Alice dos Santos.

O evento aconteceu no teatro da Fundação Aperam Acesita, outra parceira do projeto, e que teve como público-alvo congadeiros, gestores, conselheiros, agentes culturais, estudantes e pessoas da comunidade interessadas no tema.


Em seguida, foi promovido um cortejo com as guardas convidadas.


PRODUÇÃO


Mestres & Tradições é uma produção de Shirley Maclane, coordenação geral de Marlene Brum, fotografias de Dani Dornelas, Genniane Vieira e Kêmily Thauane, filmagem Lana Vídeo Produção, designer e assessoria de imprensa Goretti Nunes.

O projeto é realizado com recursos do Fundo Estadual de Cultura- FEC 02/2021 – Festas Populares - Premiação Pessoa Física, protocolo nº: 2021.2102.0231 e contou com a parceria da Fundação Aperam Acesita, do Hotel Dom Henrique e do Dom Henrique Cultural.


Os grupos convidados do Mestres & Tradições foram o de São Sebastião de Timóteo; a Guarda de Moçambique de Timóteo; o Congado de Santana do Paraíso; Congado Nossa Senhora do Rosário – Congado do Ipaneminha; Associação do Grupo de Marujos de São José dos Cocais - Coronel Fabriciano e Congado de Nossa Senhora do Rosário de Jaguaraçu.


Comments


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
bottom of page