top of page
  • Foto do escritorFernand Lodi

Número de empresários por “falta de opção” aumenta na pandemia



Quatro a cada 10 microempreendedores individuais (MEI) de Minas Gerais começaram um negócio por necessidade nos últimos dois anos


A pandemia pode ter ampliado o empreendedorismo por necessidade em Minas Gerais. Dentre os Microempreendedores Individuais (MEI) que começaram um negócio após o início da pandemia, 40% empreenderam pela falta de alternativa de trabalho e renda, contra 36% dos que haviam iniciado o negócio antes desse período. Os dados são da Pesquisa Perfil e Comportamento do Microempreendedor Individual de Minas Gerais, realizada pelo Sebrae Minas.


O objetivo do estudo, realizado com base em dados secundários* e primários, é o de entender melhor as características do MEI em Minas Gerais, sua motivação para empreender (oportunidade x necessidade), efeitos da pandemia sobre o segmento, fontes de renda, entre outros aspectos. O levantamento também traça um perfil do MEI no estado por setor, gênero, raça, faixa etária e grau de instrução.


A pesquisa mostra que o empreendedorismo por necessidade entre os MEI é mais evidente entre os maiores de 45 anos e os que têm até o Ensino Médio ou Técnico incompleto. “A crise econômica desencadeada pela pandemia teve vários reflexos sociais, entre os quais o desemprego. Esse cenário só agravou a dificuldade que as pessoas com mais de 45 anos e com menor escolaridade têm de conseguir um emprego com um rendimento satisfatório. No caso dos que têm menor escolaridade, a baixa qualificação é um dificultador; e, quanto aos de mais idade, um motivo pode ser o preconceito enfrentado por essas pessoas ao procurar emprego”, avalia Paola La Guardia, analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas.



Mais de 90% contribuem com a renda doméstica


De acordo com o estudo, nove a cada 10 MEI em Minas Gerais contribuem com o orçamento doméstico, sendo 40% os únicos responsáveis pela manutenção da casa. Outros 18% são os principais mantenedores do domicílio e 35% complementam a renda. “Isso confirma que os MEI têm importância fundamental para o sustento de grande parte dos domicílios em Minas Gerais”, destaca Paola La Guardia.


O levantamento também mostra que a cada 10 microempreendedores, sete não buscam outra ocupação; metade (49%) trabalha em casa; 20% não querem crescer e deixar de ser MEI e metade (49%) se vê como empreendedor. “Os que não se reconhecem como empreendedores afirmaram que apenas exercem sua profissão, mas formalizados como MEI. Muitos atuavam com carteira assinada e migraram para o MEI, permanecendo na mesma função. Esses, provavelmente, tendem a não se reconhecer como empreendedores”, explica a analista.


Mulheres empreendem mais por oportunidade


Entre os MEI de Minas Gerais, as mulheres empreendem mais por oportunidade que os homens (64% contra 59%). “Isso pode ser explicado pelo fato de elas terem uma escolaridade maior, e também porque, em média, como mostra a pesquisa, o orçamento familiar depende mais dos rendimentos do homem do que da mulher”, destaca Paola La Guardia.


Segundo a pesquisa, os homens são maioria entre os MEI: 54%, contra 46% de mulheres. O levantamento mostra ainda que 38% das mulheres possuem ensino superior completo ou pós-graduação, contra 25% dos homens. Já 67% dos homens são os únicos ou principais mantenedores da casa, enquanto esse percentual cai para 48% das mulheres formalizadas nessa categoria.


PERFIL DO MEI


SETOR


43% Serviços

31% Comércio

16% Indústria

10% Construção Civil


GÊNERO

54% homens

46% mulheres


RAÇA/COR

43% brancos

42% pardos

13% pretos

IDADE

23% até 30 anos

30% de 31 a 40 anos

24% de 41 a 50 anos

17% de 51 a 60 anos

7% mais de 60 anos

ESCOLARIDADE

10% Pós-graduação

10% Ensino Fundamental completo

13% Ensino Médio ou Curso Técnico incompleto

15% o Ensino Superior incompleto

21% Ensino Superior completo

23% Ensino Médio ou Curso Técnico completo


INFORMAÇÕES SOBRE A PESQUISA


A coleta da pesquisa ocorreu entre os dias 17 de abril e 3 de março de 2021, com 1.955 participantes. A margem de erro global da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, com um nível de confiança de 95%.


MEI EM MG*


1.498.529 formalizados no estado

11% do total de MEI do Brasil

63% do total de pequenos negócios do estado


*Fonte: Portal do Empreendedor, 31/01/22

Комментарии


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
bottom of page