• Fernand Lodi

PMT licitará elaboração do Plano de Mobilidade Urbana



Até que enfim a PMT volta a grande angular para as questões urbanísticas que não se refere apenas o sistema viário, bem como as questões relacionadas ao transporte, ao trânsito, ao plano cicloviário no município, mas também as praças sem sombreamento e subutilizadas, projetos para o centro norte de revitalização e requalificação de áreas para fruição dos cidadãos.


A Prefeitura Municipal de Timóteo realiza no dia 9 de julho, às 13h30, licitação (tomada de preços 12/2019) que prevê a contratação de empresa para a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana do município. O plano visa reorganizar todo o sistema viário, bem como as questões relacionadas ao transporte, ao trânsito e ao plano cicloviário da cidade.


Essa iniciativa reforça a disposição da Administração Municipal nas questões ligadas a mobilidade no município, assim como a acessibilidade, o incentivo à utilização do transporte público e bicicletas.


Outro ponto importante é que o Plano de Mobilidade Urbana propiciará também a revisão na política tarifária do transporte público municipal, subsidiando a tomada de decisões, a fim de garantir o melhor atendimento a população como um todo.


Transporte coletivo


A Administração Municipal esclarece que a atual gestão assumiu a Prefeitura em 13 de julho de 2018, ou seja, quatro meses após o encerramento da data base dos rodoviários naquele ano.


Neste ano de 2019, a Administração recebeu representantes da concessionária do serviço de transporte público que apresentou três propostas de alteração da tarifa: 1 - pleito tarifário com cobrador em 100% da frota: reajuste 47,43% - a tarifa passaria dos atuais R$ 3,80 para R$ 5,60; 2 – com a redução de 50% dos cobradores e isenção da taxa de gerenciamento do transporte coletivo e ISSQN: reajuste de 24,47%, a tarifa subiria para R$ 4,73; 3 – redução de 100% de cobradores e isenção de taxa do transporte coletivo e ISSQN: reajuste de 13,68% e passagem a R$ 4,32.


A Administração reitera que mantém o diálogo com a empresa responsável pelo transporte e que só negociará após ter estudos sobre os custos efetivos, e imparciais, incidentes sobre a tarifa.


Da mesma forma entende que conceder aumento de passagem sem a melhoria do serviço e sem qualquer parâmetro que justifique a elevação do preço, seria penalizar grande parcela da população que depende desse meio de transporte. Foto Elvira Nascimento

  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram