• Fernand Lodi

Poros, uma boa notícia em pauta



Jornalista Rudson Vieira fala sobre seu terceiro livro em live que será transmitida no sábado (1º) pelo instagram


“Então vejo nascer uma nova história do tempo em que se dizia “eu te amo” com sentido e sentimento, e não apenas costume”.


Assim o jornalista Rudson Vieira abre Poros, seu terceiro livro que será assunto da live agendada para às 19h de amanhã (1º) no instagram do escritor.


A obra relaciona a vida com uma feira livre. Desde o movimento das pessoas pela tradicional área de comércio até as mercadorias expostas nas bancas, tudo é associado a sentimentos e a modos das pessoas cumprirem sua trajetória pelo mundo.


Rudson Vieira comenta que “Poros veio à luz como resultado de sua mania de observar pessoas, processos, fluxos, comportamentos. Tudo sem amarras de lógica, sentido ou padrão único”.


Indagado sobre o que a obra traz, fugindo do spoiler, o escritor conta que “traz um pouco do”, uma resposta incompleta, um espaço aberto a respostas a serem formuladas pelo próprio leitor.


Entre os fiéis leitores das obras do escritor, está o cineasta carioca, Luiz Carlos Lacerda, o Bigode.

Em suas redes sociais, ele define Rudson Vieira como um novo autor que merece o aplauso das raras estreias marcantes. “Nele é tudo novidade. Na forma e no conteúdo - como assim queria Maiakovski”.


O cineasta observa que as obras são desvinculadas de compromissos de gêneros literários que costumam marcar a pós-Geração 45, ou da que se cunhou como Novíssima poesia brasileira.

“Quando fala de peixes, não é só de pescaria que se trata, mas de um labirinto de significados que precisamos decifrar. Esse é o seu "jogo de amarelinhas" e aquário cujo reflexo devolve a nossa imagem espelhada no vidro”, conclui.

  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram