top of page
  • Foto do escritorFernand Lodi

Projeto A Magia da Dança apresenta fragmentos de ballet de repertório



Dom Quixote, O Quebra Nozes, La Fille mal Gardée estão entre os clássicos selecionados

O ballet clássico vem encantando gerações desde a primeira apresentação, realizada no final do século XV.


Registros históricos dão conta de que o primeiro espetáculo aconteceu em 1489, na Itália, em comemoração ao casamento do Duque de Milão. Mas o ballet ganhou força ao chegar à França, se popularizando durante o reinado de Luiz XV, que era bailarino.


E o encantamento do ballet clássico, mais uma vez, ocupa a cena cultural da região com o projeto A Magia da Dança, que é realizado pela Associação Cultural Zélia Olguin e viabilizado pela Lei Federal 14.017/2020, Lei Aldir Blanc, no âmbito do Estado de Minas Gerais, por meio do Edital 18/2020 – seleção de propostas de pesquisa e criação para espetáculo de dança.


Fragmentos de alguns clássicos de repertório, interpretados por artistas da dança de Ipatinga, Belo Horizonte e São Paulo, vão compor um vídeo que será veiculado no canal da Academia Olguin no You Tube: youtube.com/academiaolguinballet, a partir de 31 de dezembro.


Com direção artística de Salette Olguin, o projeto reúne no elenco Bruna Chebile, Cristhyan Pimentel, Larissa Olguin, Luan Barcelos e Maria Eduarda Caetano. Salette destaca que, “foi difícil escolher entre tantas obras magnificas que já foram encenadas. Optamos por apresentar fragmentos de Dom Quixote, O Quebra Nozes, La Fille Mal Gardée, Diana e Acteon e O Corsário”.


O Ballet de repertório


Foi no século XIX que o coreógrafo francês Jean George Noverre revolucionou a cena da dança ao retirar espetáculos tradicionais as recitações de poesia, substituindo-as pela dança. Surgiu assim o ballet de repertório, com cenários e figurinos grandiosos, música, divisão em atos, corpo de baile, solistas e histórias que mesclam o mundo real com o universo da fantasia.


Dentre os clássicos escolhidos pela diretora artística Salette Olguin, a mais antiga é La Fille Mal Gardée, con¬ce¬bida e core¬o¬gra¬fada originalmente por Jean Dauberval, em 1789, com música de Ferdinand Hérold.


Duas das obras que serão apresentadas, são assinadas por Marius Petipa: O Corsário (1856), junto com Joseph Mazillier e Jules Perrot, com música de Adolphe Adam e Dom Quixote ( 1869), que assina com Alexander Gorsky, com música de Ludwing Minkus.


Claro que não podia faltar nesta relação o ballet mais encenado no Natal. Estamos falando de O Quebra Nozes (1892), coreografia original de Lev Ivanov e música de Tchaikovski. Completa a programação o Pas de deux de Diana e Acteon, que pertence ao ballet de La Esmeralda.


Entretanto, não fazia parte da obra original de Jules Perrot, de 1844. Foi só depois da remontagem assinada por Marius Petipa, em 1886, que passou a integrar o ballet, e Agripina Vaganova acrescentou sua própria versão, em 1935.


O elenco


No elenco presença de duas bailarinas de Ipatinga, que iniciaram os estudos na Academia Olguin: Larissa Olguin que, seguindo os passos da avó e da mãe, Zélia e Salette Olguin, é professora de ballet clássico no projeto Centro de Referência em Dança do Vale do Aço e já atuou como bailarina em vários clássicos de repertório; e Maria Eduarda Caetano, que já participou de importantes festivais como o de Joinville e fez aulas de Ballet Clássico no Harbour Dance Centre em Vancouver/ Canadá em 2018 e 2019 e atualmente faz aula na Escola do Grupo Corpo.


A bailarina Bruna Chebile, de Belo Horizonte, já integrou elenco de importantes escolas de dança como ATM Centro Cultural de Danças, Buena Danza, Cia Paulista de Dança, Escola de Dança do Teatro Sesiminas e atualmente na Companha de Dança Europaballet.


Atuou como solista em importantes clássicos como Lago dos Cisnes, Dom Quixote, La Bayadere, O Quebra Nozes, dentre outros.


O projeto recebe também dois bailarinos que já estiveram presentes em montagens assinadas pela Associação Cultural Zélia Olguin. Um deles é Luan Barcelos, gentilmente cedido pela São Paulo Cia. De Dança.


Luan iniciou seus estudos na Academia Toute Forme, passando pelo Ballet Cristina Helena, Projeto Corpo Cidadão e Ballet Adriana Assaf. Integrou elenco da Cia. De Dança Sesiminas, Cia. De Dança Deborah Colker e Cia. Paulista de Dança.


Já Cristhyan Pimentel vem de Teresópolis/RJ. Iniciou na dança aos 19 anos e estudou na Escola Estadual de Danças Maria Olenewa. É formado pela Royal Academy of Dance, Intermediate, Advanced 1 e 2.


Como bailarino, trabalhou na Cia Jovem do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e na Cia Sesc de Dança de Belo Horizonte. Atualmente é integrante da Companhia de Dança Palácio das Artes.


As gravações de A Magia da Dança foram realizadas na Academia Olguin, que está comemorando 50 anos de atividades. Essa e outras produções da Associação Cultural Zélia Olguin podem ser conferidas no canal do YouTube da Academia Olguin Ballet.


Contatos:

Salette Olguin – Direção Artística (31) 98605 8026

Marilda Lyra – Direção de Produção e Assessoria de Imprensa (31) 99966 4166

Comments


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
bottom of page