top of page
  • Foto do escritorFernand Lodi

Queima prescrita será realizada em Timóteo para prevenir incêndios florestais





O Instituto Estadual de Florestas – IEF, por meio da Brigada de Incêndio do Parque Estadual do Rio Doce - Perd, com apoio do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e Defesa Civil Municipal de Timóteo, realizará queima de modo controlado em áreas próximas aos limites do Perd nos bairros Alphaville, Limoeiro e Macuco, localizados em Timóteo, na quarta-feira (12).


O analista ambiental do IEF, Gabriel Ávila, informa que a queima prescrita tem como objetivo prevenir incêndios florestais nas áreas protegidas da Unidade de Conservação com a preparação do aceiro negro.


Gabriel ainda detalha que a técnica está legalmente prevista e é utilizada pelos órgãos competentes no Governo Federal e no Governo de Minas Gerais.


“A queima prescrita está prevista no Decreto Estadual 47.919/2020, para tanto precisamos de autorização do proprietário do terreno, aprovação interna do IEF e tudo deve ser protocolado dentro de um processo eletrônico, chancelado pelas instâncias superiores do instituto. Esta prática é utilizada pelo Governo Federal e por diversos países referência na conservação e prevenção e combate a incêndio. Estamos realizando a queima prescrita com vistas a economizar recursos públicos, prevenir incêndios florestais dentro das áreas do Perd”, pontua Gabriel.


Escolha da área


O procedimento será feito nos três bairros de Timóteo por serem áreas com histórico de incêndios próximos ao Perd, como explica o analista.


“A utilização da queima prescrita nesse local é estratégica, visto que é uma área vizinha ao parque onde temos um histórico de ocorrência de incêndios. Geralmente, esses incêndios ocorrem em momentos críticos com baixa umidade relativa do ar, sem equipe por perto. Então, nesse momento faremos a queima controlada em um horário mais adequado, com todo nosso recurso de prevenção e combate, evitando que tenhamos um incêndio que possa trazer um grande risco de fogo na área do parque”, explica Gabriel.


Gabriel ainda tranquiliza a comunidade dos bairros a respeito da ação a ser realizada. “O procedimento não traz nenhum risco para os moradores vizinhos. Podemos ter algum inconveniente com fuligem e fumaça em alguns momentos, por ser inerente da atividade. O que pedimos é que a população divulgue que esta é uma prática controlada a ser feita em território fora do parque.


Seca e incêndios florestais


O analista ambiental chama atenção aos moradores da área urbana e aos proprietários de terrenos rurais para o uso adequado do fogo, sobretudo no período de estiagem.


“Os que moram na zona urbana devem estar atentos nas legislações municipais e se informarem junto às secretarias de meio ambiente. No âmbito rural, existe previsão legal da queima controlada, mas que deve ser autorizada junto ao IEF. É o momento de todos nós estarmos monitorando e instruindo”, pontua Gabriel.

Kommentare


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
bottom of page