• Fernand Lodi

Renan Lodi nas Terras dos Faraós, Egito




O Egito é o país que possui os maiores sítios arqueológicos do mundo e onde há mais arte tanto na arquitetura milenar como em artefatos que remontam sete mil anos


Depois de passar dez dias em Barcelona, revendo amigos, Renan Lodi partiu para o Egito para fazer uma imersão turística, experimentando a cultura, os costumes e arte milenar.



Hóspede no hotel Meridien Piramydes no Egito visitou uma das sete maravilhas do mundo, as pirâmides de Gizé: Keops (a primeira grande pirâmide do rei Khufu), Kefren, a segunda pirâmide atribuída ao rei Khafraa, filho do rei Khufu e Micerinos, a terceira e menor pirâmide do rei Micerinos, filho do rei Khafraa e neto do rei Keops, no Cairo.



A Esfinge, com a sua cabeça de homem e corpo de leão, o templo do Vale, construído pelo rei Kefren. Posteriormente, visitou o Museu Egípcio, que contém a maior coleção do Império Faraônico, monumentos do antigo Egito e um quarto que inclui o tesouro do jovem Rei Tutankamon e o interior da Sala das Múmias.


Passou pela área do Cairo Velho, onde reúne a Igreja de Santa Bárbara, a Igreja de São Sérgio e a sinagoga de Bem Ezra. Visitou, também o Bazar de Khan El Khalili, um dos bazares mais antigos e famosos do norte da África, próximo do centro da cidade.



Deslocou-se para Luxor, sul do Egito para o inesquecível e imprescindível cruzeiro no Rio Nilo e visitou o Templo de Luxor, que foi construído durante o Império Novo e anexado ao Templo de Karnak pela avenida Dromos, ladeada por esfinges. O templo foi construído principalmente por dois faraós, Amenthotep III (parte interna) do templo e Ramsés II, que o terminou.


Seguindo o vale do Rio Nilo, visitou o Vale dos Reis, o local durante o Novo Império, onde os faraós foram enterrados nas montanhas, onde se encontram os reis das dinastias XVIII, XIX E XX AC e algumas rainhas, príncipes, nobres e até animais.



Visitou o templo original da rainha Hatshepsut (dinastia XVIII) de maior valor e prestígio entre os monumentos construídos no vale. É único no seu gênero no Egito. Os Colossos de Mennon, navegando para Edfu e entrada para o interior do Túmulo de Tutankamun no Vale dos Reis.



Através do Rio Nilo para no Templo de Horus, com um passeio de carruagem, que é o mais preservado do Egito e foi chamado Mesen, “O lugar da Lança”, “Casa de Rá”. Templo considerado um ponto de grande energia positiva.


Navegando para Kom e Ombo, visita o Templo de Sobek, um edifício incomum para a época, totalmente simétrico, com duas entradas, duas salas de hipostilos e dois santuários. Isso porque ele é dedicado a dois deuses: o lado equerdo para o deus falcão Haroeris (Horus, o velho ou grande) e o direito para Sobek, divindade local com a cabeça de um crocodilo.



Continuando no sentido de Aswan visitou a barragem de Aswan, construída em 1960 para proteger o Egito das inundações,e Obelisco Inacabado, famoso pelo seu granito vermelho. O mais interessante é que este obelisco foi construído à rainha Hatshepsut, esposa do Rei Tutmés II, uma das rainhas que governaram o Egito durante a dinastia XVIII.




Ainda pelo Rio Nilo visita dois Templos de Abdu Simbel, em Asswan, que refletem a glória e a grandeza do período do novo reino. O governo egípcio e a Unesco decidiram cooperar para salvar os templos da profundidade do Nilo.



Uma civilização intrigante, com mais de 7000 mil anos de história, cujos estudos e pesquisas mostram a grandiosidade do império egípcio e sua rica cultura nos mais variados âmbitos da medicina, da física, da astronomia, da construção civil e muito mais, hoje um país com grandes dificuldades econômicas.









ESSENCIAL AR

"Arte é a Prática da Verdade, do Bem e do Belo, ou seja, Ética, Filosofia e Estética em todos os Âmbitos da Vida"    Massararu Taniguchi/Filósofo Japonês

Telefone Contato

31 988543133

email de contato
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram