• Fernand Lodi

RMVA - Urbanismo e gestão metropolitana são debatidos



Pela enésima vez a RMVA debate Urbanismo e gestão metropolitana com arquitetos e gestores públicos do Vale do Aço e continua por décadas estas discussões e não se observa alterações no urbanismo da Região do Vale do Aço


A Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA) tem registrado fenômenos climáticos, urbanísticos e econômicos diferentes dentro do território. Com situações tão diversas, o planejamento metropolitano precisa ser pensado e revisto para o equilíbrio entre os municípios.


Assim foi a proposta de discussão do evento “Cidades Integradas – Planejamento Urbano e Gestão Metropolitana”, realizado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Minas Gerais (CAU/MG) e a Agência de Desenvolvimento da RMVA (ARMVA), nesta quarta-feira (19), no Unileste-MG Campus Coronel Fabriciano.


Arquitetos e urbanistas, profissionais de áreas afins, gestores públicos e estudantes debateram a respeito do planejamento e gestão eficientes para o desenvolvimento conjunto das cidades.

O diretor-geral da ARMVA João Luiz Teixeira Andrade ressalta a complexidade do assunto, mas frisa a necessidade de fomentar a discussão.


“O tema de cidades é complexo, pois deve conciliar questões técnicas, políticas e institucionais, o que dificulta o funcionamento integrado das regiões metropolitanas. Mas o debate promovido pela Agência e o CAU/MG trouxe subsídios e visões plurais de possibilidades no planejamento de cidades. Sem dúvida, o debate vem enriquecer e difundir novas práticas na RMVA. Fomentar estas discussões é um dos papéis da Agência, visto que somos os responsáveis pelo planejamento metropolitano e articulação das funções públicas de interesse comum dos municípios”, destaca João.


O presidente do Conselho Danilo Batista pontua que as parcerias entre instituições facilitam o planejar do espaço urbano.


“É difícil ter ações, se não tiver parceiros, pois a gente faz uma troca de informações e assim conseguimos atingir um número maior de pessoas e mais movimento na sociedade. Então, como a Agência de Desenvolvimento da RMVA envolve 28 municípios, facilita muito nosso trabalho. O CAU/MG tem ações específicas para a área de planejamento urbano e ambiental, salientamos que o nosso papel é de fomentar essas políticas e mostrar a importância do profissional arquiteto e urbanista inserido nesta temática”, detalha Danilo.


Para uma das palestrantes da noite, a presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura Fernanda Basques, as cidades precisam ter respostas mais rápidas para os desafios da atualidade.


“A gente precisa de uma cidade mais resiliente, que seja adaptada às mudanças climáticas e outros tipos de mudanças de desenvolvimento. Vejo a ação da ARMVA com bons olhos porque é um modo de se pensar a cidade que permanecem ao longo do tempo, são propostas globais”, afirma Fernanda.