• Fernand Lodi

Sérgio Leite e Denise no Vale dos Vinhedos (RS)


Denise e Sérgio Leite passaram dias no Vale dos Vinhedos, Rio Grande do Sul, num hotel boutique entre videiras, vinícolas e boa gastronomia, legados dos imigrantes italianos


O Presidente da Usiminas, Sérgio Leite, dentre inúmeros compromissos e uma agenda com incontáveis demandas no âmbito sócio-industrial-ambiental-cultural no Leste de Minas, no cenário nacional e internacional, não se furta a momentos de lazer com familiares.


Amante e conhecedor dos melhores vinhos produzidos no Brasil escolheu passar dias em Caxias do Sul, RS, na companhia de Denize, no Vale dos Vinhedos no intuito de realizar reflexões e recomendações de vinhos tintos nacionais.


A viagem tem como objetivo precípuo Estudos no Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul e “já programando a 7ª Viagem de Estudos no Vale dos Vinhedos”, comenta Sérgio Leite.


“Em setembro/outubro de 2020, realizamos, Denise e eu, por um período de duas semanas, a minha 6ª Viagem de Estudos dos Vinhos Brasileiros no Vale dos Vinhedos, RS (para Denise a 2ª viagem), nas últimas 3 décadas” afirmou Sérgio.


E complementa o contextualizando a viagem, “O Vale dos Vinhedos é a única região DOC – Denominação de Origem Controlada, do Brasil, produtora de vinhos, além de um lugar maravilhoso. Foram 3350 km percorridos de carro, 15 vinícolas visitadas, mais de 100 rótulos degustados e mais de 100 garrafas adquiridas de vinho brasileiro de alta qualidade. Momentos inesquecíveis desfrutados numa linda região, onde nos hospedamos no SPA do Vinho, excelente hotel em meio às videiras, degustando vinhos e aprendendo bastante sobre a enologia brasileira”.


Sérgio continua relatando e confirmando que a “Região do Vale dos Vinhedos possui cerca de 80 vinícolas, a grande maioria Vinícolas Boutiques, com produção variando de 30 mil a 300 mil garrafas por ano. Uma grande vinícola, a nível mundial, produzindo no mínimo 40 milhões de garrafas ao ano. No Brasil, as maiores vinícolas produzem de 10 a 15 milhoes de garrafas por ano. ”



Originalmente chamada de Campo dos Bugres, a região era percorrida por tropeiros e foi ocupada por índios. Em 1876, chegaram os primeiros agricultores italianos vindos da Lombardia, Vêneto e Piemonte, dando início à ocupação dessa região íngreme, de clima europeu. Em 1890, o município de Caxias do Sul emancipou-se de São Sebastião do Caí. Em 1910, chega o, primeiro trem, ligando a região à capital do Estado.


“Nesta 6ª viagem pudemos constatar uma significativa evolução desde a década de 90, com vinícolas modernas, atualizadas tecnologicamente e com espaços muito acolhedores” conclui Sérgio Leite.


Como enófilo de primeira grandeza, Sérgio e Denise elegeram 12 vinhos tintos de alta qualidade produzidos no Vale dos Vinhedos, elencando-os abaixo como sugestão aos paladares mais exigentes:


1 Luiz Valduga, da Vínicola Casa Valduga

2 Sesmarias, da Vinícola Miolo

3 Remy Valduga, da Vinícola Torcello

4 Storia, da Vinícola Casa Valduga

5 Perfetto, da Vinícola Torcello

6 Parte 2, da Vinícola Almaúnica

7 Tannat, da Vinícola Lídio Carraro

8 Kairos, da Vinícola Lídio Carraro

9 Lote 43, da Vinícola Miolo

10 Septimum, Vinícola Salton

11 Teroldego, Vinícola Angheben

12 S8, Vinícola AlmaúnicavIv


Sobre a qualidade dos vinhos na região Sérgio afirma que “ o Brasil nos últimos 30 anos, evoluiu consideravelmente na produção de Vinhos de Alta Qualidade. No que se refere a espumantes, já produzimos dezenas de rótulos com qualidade a nível mundial”.


E segue dissertando, que “nossa evolução na produção de vinhos brancos nos permitiu exibir rótulos de muito boa qualidade. Nosso foco nesta viagem foram os vinhos tintos, onde sempre se afirmou que não produzimos bons tintos, o que não reflete a realidade”. ”


“Após 30 anos de estudos, experimentos e permanente evolução tecnológica, o Brasil hoje produz dezenas de bons vinhos tintos. Nossos vinhos se posicionam entre os melhores tintos do Novo Mundo, com nível de qualidade no mesmo patamar, por exemplo, dos argentinos, chilenos e australianos. Nosso desafio para as próximas décadas é atingir a excelência dos franceses, italianos e espanhóis”, confirma Sérgio.


Com a mesma paixão pelos bons vinhos Sérgio Leite compartilha sobre a Logística, Produção, Preço e o Prazer na degustação de vinhos nobres.


“LOGÍSTICA – Precisamos também desenvolver uma estrutura logística para abastecimento do Mercado Interno, conquistando os consumidores brasileiros que passando a desfrutar e admirar os nossos tintos, ajudarão a promove-los mundo afora.


PRODUÇÃO – Se faz necessária, indubitavelmente aumentar nossa produção para abastecer o Braisl e depois, partir para aumentar a penetração no mercado internacional. Nossa escala de produção ainda é muito baixa, concentrada em Vinícolas de Boutique.



PREÇO – A questão custo/benefício, muito destacada como um ponto negativo dos vinhos brasileiros, com a desvalorização de cerca de 30% do Real frente ao dólar em 2020, foi solucionada, tornando nossos produtos mais competitivos.

PRAZER – Nossos vinhos tintos de alta qualidade estão à nossa disposição para nos proporcionar prazer nos quatro momentos do processo de desfrutá-los, quais sejam, a busca do conhecimento, a escolha e aquisição, a guarda na adega e beber com os amigos junto à uma boa gastronomia e seguir desfrutando a vida”


O Vale dos Vinhedos fica localizado em Bento Gonçalves, famoso por suas vinícolas, casas de massa e outros (saborosos) legados deixados pelos imigrantes italianos.