• Fernand Lodi

Selos comemorativos marcam as celebrações do Bicentenário da Independência ao longo do ano



Em 2022, quando o Brasil celebra os 200 anos de Independência, os Correios preparam uma agenda especial de lançamentos filatélicos ao longo do ano. Nesta semana, duas destas peças foram lançadas.


Na quarta-feira (29), em evento realizado na Câmara dos Deputados, em Brasília/DF, foi apresentada a última emissão da série “Brasil – Portugal – Bicentenário da Independência do Brasil”. Nesta sexta-feira (1º), ocorreu o lançamento do selo comemorativo “Bicentenário da Independência - Marca Oficial”, em solenidade realizada no Ministério do Turismo, também na capital federal.


Ambos os eventos foram conduzidos pelo superintendente dos Correios em Brasília/DF, Arnaldo Luiz Peres, que representou o presidente da empresa, Floriano Peixoto.


Em carta lida pelo superintendente, o titular da estatal comentou sobre a importância dos registros filatélicos que estão sendo anunciados este ano.


“Relembrar esse evento é uma reconexão com a nossa própria história enquanto povo que lutou para conquistar sua liberdade. Ao nos desvencilharmos do domínio estrangeiro, tornamo-nos, de fato, uma nação: um coletivo autodeterminado de compatriotas guiados por seus anseios comuns e pela incessante busca pelo engrandecimento do nosso país”, trouxe o trecho da carta.



Essas peças especiais têm o objetivo de abordar artisticamente os significados da data nacional a partir de um olhar plural.


Os selos trazem diversas expressões visuais da época da América portuguesa, sendo possível perceber as ações e os projetos políticos daquele contexto histórico.


O selo “Bicentenário da Independência do Brasil - Marca Oficial do Bicentenário” foi desenvolvido pelo Governo Federal.


A emissão em verde e amarelo - em referência às cores da bandeira nacional -, destaca o detalhe da espada que D. Pedro I teria erguido, às margens do Rio Ipiranga, em 7 de setembro de 1822.


Já o selo “Bicentenário da Independência – Movimentos Populares”, peça que também entrou em circulação no mês de junho, homenageia a participação da sociedade civil e militar em atos que colaboraram para que o Brasil se emancipasse de Portugal.


Os conflitos ocorreram durante a década de 1820 em muitas regiões do país e resultaram em guerras na Bahia, Maranhão, Piauí, Pará e na Província Cisplatina (atual Uruguai e parte do Reino à época).


A imprensa e as manifestações das ruas também se juntaram aos movimentos populares que pressionavam pelo fim do Império.

A “Emissão Conjunta Brasil – Portugal – Bicentenário da Independência do Brasil” completa essa rodada de lançamentos. O selo em computação gráfica é a sexta e última peça da série “Brasil, 200 anos de Independência”. A arte da emissão filatélica destaca, na parte superior, a pintura “Sessão do Conselho de Ministros” da artista Georgina de Albuquerque. Logo abaixo, a pintura Dom Pedro I de Simplício Rodrigues de Sá, do acervo do Museu Imperial. Foi utilizado o recurso de computação gráfica.

A obra – que se encontra atualmente no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro – retrata o protagonismo de Leopoldina no processo de emancipação do País. Na cena histórica, a princesa regente escuta os argumentos de José Bonifácio de Andrada e Silva que justificavam a separação política de Portugal, e lista os motivos em carta enviada a D. Pedro I, também estampado no selo postal.

O Bicentenário em selos – Os Correios iniciaram o resgate histórico alusivo ao Bicentenário em 2017, quando foi colocado em circulação o primeiro selo da série “Brasil, 200 anos de Independência”. Criada em parceria com a Câmara dos Deputados, a série comemorativa já tem cinco emissões lançadas: Bicentenário da vinda de D. Leopoldina (2017); o Bicentenário da Aclamação de D. João VI (2018); o Bicentenário do retorno de José Bonifácio ao Brasil (2019); o Bicentenário da Revolução Constitucionalista (2020); e Brasil nas Cortes de Lisboa (2021). Esses selos já estão disponíveis para venda na loja virtual e nas principais agências dos Correios de todo o país.

Para o segundo semestre deste ano, estão previstos ainda os lançamentos de mais três emissões comemorativas no contexto do Bicentenário: Personalidades, Prédios Históricos e Participação dos Correios.

Confira os valores e a tiragem das estampas recém-lançadas, que, em breve, também estarão à venda no site e nas agências. A peça com a Marca Oficial do Bicentenário tem valor facial de R$0,01, com 1,8 milhão de selos disponibilizados para atender não só os colecionadores mas o público que utiliza o serviço Carta Social, sendo uma estampa que dará ampla divulgação e visibilidade às celebrações da data. A emissão “Bicentenário da Independência – Movimentos Populares” tem valor de R$ 2,35 e 8 mil exemplares à venda. O selo comemorativo de encerramento da Série 200 anos da Independência tem a tiragem de 96 mil selos, ao custo de R$ 2,60 cada.

Na página dos Correios no YouTube, confira o vídeo sobre as peças lançadas, que integram o acervo especial que retrata um dos mais relevantes períodos da história brasileira.


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram