• Fernand Lodi

Usiminas encerra 2021 como o melhor ano da história da companhia



O Presidente da Usiminas, Sérgio Leite, acompanhado de diretores apresentou síntese do melhor ano da história da indústria aos jornalistas do Vale do Aço em grande estilo, num almoço requintado, na casa da diretoria e todos receberam brindes valiosos


O ano de 2021 foi de grandes conquistas e de quebra de recordes na Usiminas. Em um período marcado por importantes investimentos como o Centro de Memória Usiminas, entregue em outubro; o projeto de empilhamento a seco da Mineração Usiminas, inaugurado no início do mês de dezembro; e o anúncio da reforma do alto-forno 3 da Usina de Ipatinga, a companhia encerra 2021 como o melhor ano em resultados nas últimas duas décadas.


“Após os grandes desafios enfrentados pela companhia em 2015, tivemos um período extremamente positivo para a empresa e entramos numa trajetória de crescimento, que está nos permitindo construir não só o presente, mas também o futuro da Usiminas”, afirma o presidente Sergio Leite.



Ao longo dos últimos trimestres, a Usiminas apresentou recordes de produção em suas diferentes áreas de negócio com aumento na produção de aço bruto em Ipatinga e de laminados tanto na Usina de Ipatinga quanto na de Cubatão, na Baixada Santista.


Os números refletem o esforço da companhia para atendimento da demanda interna, marcada pela retomada e aumento da produção de diferentes segmentos da economia do país.


“A indústria continua atuando em um cenário bastante desafiador com todos os impactos sociais e econômicos da pandemia que ainda persistem. Porém, graças ao excelente trabalho de toda a equipe Usiminas, tomamos as decisões acertadas nos momentos mais agudos da pandemia, conseguimos nos preparar adequadamente para a retomada do mercado e com isso, mantivemos os resultados numa curva ascendente”, avalia Sergio.


No ano em que comemorou 59 anos de operações, 50 anos do seu Centro de Pesquisa e 30 anos de privatização, a Usiminas ampliou, também, sua atuação social e ambiental e reforçou seus compromissos com a agenda ESG (sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança) Além de medidas importantes como a venda de sua antiga sede para a instalação de um novo hospital da Fundação São Francisco Xavier, o primeiro em Belo Horizonte, um dos grandes destaques do ano ficou com a entrega do Centro de Memória Usiminas.



Aberto em outubro no Grande Hotel de Ipatinga, o local apresenta a história da indústria do aço, da própria Usiminas e de Ipatinga, além de dar acesso à população a um importante acervo de arte moderna e contemporânea, reunido pela empresa ao longo de sua história.


Bases para o futuro


Segundo o presidente da empresa, para o próximo ano, a expectativa é ter uma atuação com foco, principalmente, em Pessoas e Comunidades; Clientes e Mercados e Competitividade.


“Temos muito a comemorar pelos importantes avanços que tivemos em 2021, mas agora é tempo de preparar as bases que darão sustentação às nossas operações nos próximos anos”, afirma.

Segundo ele, temas como saúde e segurança das pessoas, prosperidade para as comunidades e redução cada vez maior dos impactos ambientais concentrarão ainda mais esforços da companhia.



Com relação ao mercado e à competitividade da empresa, merecerão destaque a expansão das vendas com rentabilidade e a redução dos custos operacionais por meio da excelência operacional, entre outras iniciativas.


“O futuro vai continuar nos apresentando grandes desafios, mas também imensas oportunidades. Na Usiminas, vamos seguir na nossa permanente busca pela saúde e segurança das pessoas, no nosso compromisso histórico com as comunidades e na nossa missão de impactar positivamente toda a sociedade”, finaliza.