• Fernand Lodi

Volta às aulas na Rede SESI de Ensino



Em Ipatinga o retorno aconteceu nessa quarta-feira, dia 03/03


As aulas nas Escolas do SESI-MG retornaram hoje (03/03) nos municípios de Ipatinga, Uberaba e São Gonçalo do Sapucaí. O sistema que está sendo utilizado é o modelo misto, com parte dos alunos presencialmente nas unidades e a outra acompanhando as aulas de forma remota.


O retorno, após quase um ano de paralisação das atividades presenciais, se dá obedecendo as decisões sanitárias de cada município e com uma série de medidas preventivas e sanitárias.


Confira o bate-papo com Maria Conceição Caldeira Oliveira, gerente de Educação Básica do SESI-MG, e conheça todas os procedimentos de segurança sanitária tomados para proteção dos alunos e profissionais.


• Em quais cidades teremos aulas presenciais?


O retorno às aulas presenciais depende da autorização dos órgãos oficiais de cada município. Até o momento, foi autorizado, por meio de decreto, o retorno presencial para as cidades de Ipatinga, São Gonçalo do Sapucaí e Uberaba. Até o fim do mês, teremos os municípios de Governador Valadares, Pouso Alegre, Varginha e Divinópolis.


• Houve algum tipo de negociação com as prefeituras?


Não. A autorização de retorno depende da prefeitura, que analisa a situação do munícipio diante da pandemia.


• As aulas serão totalmente presenciais?


Adotaremos o modelo misto que intercala o ensino presencial com o ensino remoto. Cabe ressaltar que o retorno às atividades presenciais será gradual, para dar previsibilidade e segurança aos alunos, pais e todos da comunidade escolar.


Nesse sentido, para que haja um distanciamento seguro entre os estudantes na escola e em sala, o número de alunos de cada turma será reduzido pela metade. Ou seja, em um dia metade dos alunos da turma estarão em sala de aula e a outra metade em casa. No dia seguinte, inverteremos, quem ficou em casa irá para a escola e quem foi à escola ficará em casa.


Os alunos que estiverem em casa acompanharão as atividades de forma remota e realizarão as tarefas de acordo com o direcionamento e planejamento de cada professor. O escalonamento será estruturado pelas equipes da escola, sempre considerando o menor número de alunos em sala. Os recreios serão feitos com revezamento de turmas em horários alternados.


• Quais serão as medidas de proteção aos alunos?


O retorno terá como referência cinco dimensões:


DISTANCIAMENTO SOCIAL: com o objetivo de reduzir a aproximação e o contato entre as pessoas. Além disso, vamos manter os ambientes bem ventilados, com as janelas e portas abertas, também para evitar o toque nas maçanetas e fechaduras.


HIGIENE PESSOAL: A parceria com a família será fundamental. Orientamos que as famílias contribuam com esse processo, ressaltando a importância de bons hábitos de higiene para as mãos e para as vias respiratórias, tanto na escola como em outros lugares. Estará disponível álcool glicerinado 70% dentro das salas de aula, laboratórios e em locais com fluxo de pessoas. Sugerimos, ainda, que os alunos tenham na mochila o seu material individual de cuidados e higiene.


As máscaras devem ser utilizadas durante todo o tempo em que o aluno permanecer na escola e a orientação é que cada aluno leve a sua garrafa de água. Flexibilizaremos também a exigência do uniforme escolar, pois os alunos deverão trocar de roupa todos os dias.


SANITIZAÇÃO DE AMBIENTES: os ambientes serão higienizados constantemente. Para garantir a melhor condição sanitária, haverá tapetes higienizadores nas portarias.


COMUNICAÇÃO: daremos prioridade para que a comunicação sobre as novas medidas sanitárias aconteça de forma clara e transparente em todos os processos para garantir que funcionários e estudantes conheçam os procedimentos adotados pela escola.


MONITORAMENTO: acompanhamento diário da situação, com o objetivo de garantir que as ações sejam efetivas ao longo do tempo e que possibilite também a rastreabilidade de casos. Não permitiremos a permanência de pessoas sintomáticas para COVID-19 na escola. Para acesso à instituição, será obrigatório a aferição da temperatura e o uso de máscaras – para os profissionais das escolas, será exigido também o uso de face-shield. Orientamos a medição da temperatura das crianças e dos jovens em casa, antes de enviá-los para a escola, pois se for constatada temperatura corporal superior a 37,6 graus (por margem de segurança), o aluno será impedido de permanecer nas dependências da escola.


• Os pais terão a liberdade de optarem pelo retorno presencial?


Sim. Para o retorno presencial faremos uma pesquisa com os pais e eles assinarão um termo de responsabilidade optando pela modalidade presencial.


• Qual o limite de alunos por turma?


Para que haja o menor número de estudantes na escola e em sala, cada turma será reduzida pela metade. Em um dia metade dos alunos da turma estarão em sala de aula e a outra em casa. No dia seguinte, inverteremos.


• Quais as alterações na rotina dos alunos?


Os alunos estavam acostumados com uma rotina presencial de aulas, na pandemia eles tiveram que se adaptar e organizar uma rotina de estudos em casa. Agora, com o retorno das aulas presenciais, será preciso se adaptar a uma nova rotina, mesclando o presencial e o remoto. Isso muda a rotina do aluno, visto que um dia ele estará fisicamente na escola e no outro não.


• Como os profissionais foram preparados para esse retorno após o longo período sem aulas presenciais?


Foram realizadas reuniões e capacitações pela equipe gestora de cada escola, embasados em protocolos, orientações e documentos da FIEMG e do município, abordando itens de segurança e acolhimento desses profissionais para um retorno seguro.


Sabemos que a nova normalidade será diferente, com muito cuidado no distanciamento social e nas medidas de higiene e saúde recomendadas. Mas o afeto será ainda mais imprescindível nesta retomada das aulas presenciais. Com tudo que vivenciamos até agora na pandemia, ficou claro que o vínculo é muito importante para a saúde mental, física e social dos estudantes.


• Como o SESI se preparou para lidar com as possíveis questões emocionais de alunos e profissionais de sua rede?


Desde o início da pandemia estamos realizando um trabalho voltado para o apoio emocional, tanto com a equipe das unidades, como com os alunos. Em 2020, realizamos capacitações com foco no cuidado emocional dos docentes e equipe pedagógica, e com os alunos realizamos o Programa de acolhimento social.


Agora, no momento da retomada das aulas presenciais, orientamos que cada escola organize um momento de acolhimento para os professores, os alunos e as famílias. Estruturamos questões de ordem técnica, mas também priorizamos uma atenção específica para o emocional da equipe da escola e dos alunos, tendo em vista que medo, angústia e felicidade serão sentimentos que todos vivenciarão, sendo necessário entendermos como eles estarão oscilando.


Tais sentimentos impactarão no comportamento de empregados e estudantes e, dessa forma, adotaremos algumas estratégias. Na primeira semana serão trabalhadas questões emocionais e afetivas dos estudantes. Durante os primeiros 30 dias de retorno às aulas presenciais, sugerimos estruturar plano de ação para que a equipe pedagógica entre em contato com as famílias e organize reuniões coletivas. Precisaremos escutar mais, detectar a necessidade de cada um e desenhar novas formas de aprendizagem para se encaixar em diferentes contextos pessoais.


• Por que o SESI-MG considera importante essa retomada das aulas presenciais?


O retorno às aulas presenciais é importante para atender os alunos na sua real necessidade, o que nem sempre é possível fazer de forma remota. Além disso, a educação se dá por meio das relações, da socialização, da troca entre os pares e do contato. Acreditamos que o retorno é relevante porque o trato presencial faz parte do processo de aprendizagem. ro ponto em que consideramos ser prudente o retorno, é que nem todos os nossos alunos possuem acesso a uma boa conexão de internet e um bom equipamento para que consiga estar presente o tempo todo na aula remota. Cabe citar que, se houver um aumento do número de casos da Covid-19 no munícipio, os órgãos competentes poderão determinar novamente a suspensão das aulas.


• Em caso de contaminação de alunos, quais medidas serão tomadas?


O SESI estruturou um monitoramento diário e remoto da saúde, por meio de uma pesquisa que o responsável e, quando maior de idade, o próprio aluno, deverá responder. As famílias serão orientadas a não enviar para a escola crianças e jovens que apresentem sintomas de gripe e resfriado como tosse, cansaço, congestão nasal, coriza e dificuldade de respirar.


Entretanto, caso tais alunos compareçam à escola, eles serão encaminhados para um local isolado, para evitar o contato com outras pessoas. Os responsáveis serão contatados imediatamente para que busquem o estudante, que deverá permanecer em casa. Os ambientes frequentados por esse aluno serão higienizados e desinfetados imediatamente.