• Fernand Lodi

Presidente da FIEMG avalia reflexos do aumento de preços dos combustíveis


Flávio Roscoe considera que haverá um impacto inicial nos orçamentos familiares e na atividade produtiva, mas acredita que será revertido

O presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, comentou nesta sexta-feira (11) o aumento dos preços da gasolina, em 18,8%, e do diesel, em 24,9%, anunciado pela Petrobras na quinta- feira (10).


“Além do aumento da gasolina e do álcool, que fere toda a população, teremos também o aumento do óleo diesel, que impacta boa parte da nossa cadeia produtiva”, ponderou ele.

No entanto, considerou ainda Roscoe, “é importante ressaltar que esse aumento é derivado não de uma demanda interna aqui no Brasil, mas do aumento explosivo do preço do barril de petróleo e seus derivados no mercado internacional, em função da guerra da Ucrânia e da Rússia”.

O presidente da FIEMG disse acreditar que, neste momento, o impacto desse acréscimo nos preços dos combustíveis vá afetar, de fato, a capacidade de consumo das famílias e também o custo de logística de boa parte das empresas. Mas, em sua avaliação, será algo transitório, “pois desejamos todos que a guerra tenha um fim rápido e que, com isso, os preços retornarão rapidamente ao seu patamar atual. Patamar em que estavam antes desse conflito”.

Confira a íntegra da fala do presidente da FIEMG neste link https://www.youtube.com/watch?v=eDgp4a0sdFk&t=6s


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram