top of page
  • Foto do escritorFernand Lodi

Usiminas anuncia segundo melhor EBITDA em 14 anos



Empresa divulga resultados de 2022, quando teve lucro líquido de R$ 2,1 bilhões


A Usiminas apresentou nesta sexta-feira (10) os resultados do 4º trimestre e o consolidado de 2022.


No ano passado, a empresa registrou um EBITDA Ajustado de R$ 4,9 bilhões, o segundo maior desde 2008, atrás apenas do contabilizado em 2021 (R$ 12,8 bi), um ano atípico por conta da retomada da economia após o período mais crítico da pandemia.


Já a margem EBITDA Ajustado, em 2022, ficou em 15%, ante os 38% de 2021.


No quarto trimestre (4T22), o EBITDA Ajustado foi de R$ 579 milhões, ante R$ 836 milhões no trimestre anterior (3T22). A margem EBITDA dos últimos três meses do ano ficou em 8%, contra 10% do terceiro trimestre.


Ao longo de 2022, o lucro líquido da companhia foi de R$ 2,1 bilhões, o segundo maior em 14 anos.


Em 2021 a empresa alcançou o recorde de R$ 10,1 bilhões nesse indicador. Já a receita líquida do ano passado ficou em R$ 32,5 bilhões, a segunda maior da série histórica e 4% inferior à registrada em 2021.


Em função, principalmente, do efeito contábil de impairment a Usiminas registrou prejuízo líquido de R$ 839 milhões no 4T22, ante lucro líquido de R$ 609 milhões no trimestre anterior. Já a receita líquida do 4T22 alcançou R$ 7,7 bilhões, 9,2% inferior ao 3T22 (R$ 8,4 bilhões).


“O ano passado foi desafiador e vínhamos de um período em que registramos recordes históricos nas nossas linhas de produção, em função da retomada econômica após o período mais agudo da pandemia. Os números de 2022 mostram a capacidade das nossas equipes em enfrentar desafios e gerar resultados”, avalia o presidente da Usiminas, Alberto Ono.


A dívida bruta consolidada em 31/12/22 era R$ 6,2 bilhões, 1,6% inferior ao final de 2021 (R$ 6,3 bilhões), com o efeito da valorização do real frente ao dólar.


Já o Caixa e o Equivalente de Caixa consolidado era de R$ 5,1 bilhões (31/12/22), 27,8% a menor em comparação com a posição em 31/12/21 (R$ 7 bilhões). A geração de EBITDA no período compensou parcialmente a redução.


Destaque ainda para o CAPEX de 2022 que totalizou R$ 2,2 bilhões, 47,3% superior a 2021 (R$ 1,5 bilhão). No trimestre (4T22), os investimentos atingiram R$ 867 milhões, 43,4% a maior em comparação ao 3T22 (R$ 604 milhões).


Unidades de negócio


Na siderurgia, a Usiminas obteve, no ano, receita líquida de R$ 28,7 bilhões, a maior da história desta unidade de negócios, número 1,2% superior ao registrado em 2021.


A produção de aço bruto na Usina de Ipatinga em 2022 foi de 2,7 milhões de toneladas, inferior em 16,4% em relação ao ano anterior (3,2 mi de toneladas).


Já a produção de laminados nas usinas de Ipatinga e de Cubatão totalizou 4,2 milhões de toneladas em 2022, uma redução de 15,8% em relação a 2021 (5,0 milhões de toneladas).

Ainda em relação à produção, os números do quarto trimestre se mantiveram em linha com o trimestre anterior (3T22).


A produção de aço bruto em Ipatinga, de outubro a dezembro, foi de 650 mil toneladas (660 mil toneladas no 3T22); já a de laminados nas duas unidades totalizou 1,0 milhão de toneladas nos três últimos meses do ano, em linha com o 1,03 milhão de toneladas de julho a setembro.


No consolidado de 2022, o volume de vendas somou 4,2 milhões de toneladas de aço, 12,2% inferior a 2021 (4,8 milhões de toneladas).


No mercado interno, as vendas foram de 3,6 milhões de toneladas, uma redução de 15,6% em relação a 2021 (4,3 milhões de toneladas). Já as exportações foram de 609 mil toneladas, 15,1% superior a 2021 (529 mil toneladas).


No consolidado do ano, 86% das vendas foram destinadas ao mercado interno e 14% às exportações (ante 89% e 11%, respectivamente, em 2021).


No 4T22, o volume de vendas somou 963 mil toneladas de aço, superior ao guidance (projeção) de 950 mil toneladas fornecido pela Companhia para o período.


No período, houve um recuo de 8% em relação ao 3T22 (1.047 mil de toneladas). As vendas internas totalizaram 872 mil toneladas de outubro a dezembro, uma redução de 7% em relação ao 3T22 (938 mil toneladas).


As exportações no quarto trimestre atingiram 92 mil toneladas, representando uma redução de 15,7% em relação ao 3T22 (109 mil toneladas). Com isso, nos últimos três meses do ano, as vendas internas atingiram 90% e o restante (10%) foi destinado à exportação.


Para Alberto Ono, presidente da Usiminas, os esforços da Companhia em 2023 estão concentrados, principalmente, nos investimentos na Usina de Ipatinga.


“Estamos próximos à reforma do Alto-Forno 3, nosso maior aporte nesta década e que garantirá a sustentabilidade operacional da unidade pelos próximos 15 a 20 anos. Soma-se a isso as intervenções nas Coquerias e na Aciaria 2, que nos darão mais competitividade operacional, fortalecendo, também, a nossa atuação na área ambiental”.


Na Mineração Usiminas, o volume de produção totalizou 8,9 milhões de toneladas, uma redução de 2,6% quando comparado a 2021 (recorde registrado pela unidade de 9,1 milhões de toneladas).


As vendas no ano passado foram de 8,6 milhões de toneladas, ante 9 milhões de toneladas em 2021. Entre os fatores que geraram essas reduções estão os impactos das fortes chuvas no início do ano passado, que prejudicaram, ainda, a cadeia logística e, também, o ramp up da planta de empilhamento a seco (Dry Stacking).


No 4T22 o volume de produção da Mineração Usiminas foi de 2,3 milhões de toneladas, uma redução de 7,8% em comparação ao 3T22 (2,5 milhões de toneladas), devido, principalmente, à manutenção programada realizada em uma das plantas de beneficiamento.


O volume de vendas de outubro a dezembro foi de 2,4 milhões de toneladas, superior em 7,1% ao trimestre anterior (2,2 milhões de toneladas).


Na unidade de Transformação do Aço, a Soluções Usiminas registrou receita líquida anual de R$9,4 bilhões, 10,2% superior a 2021 (R$8,5 bilhões).


O EBITDA Ajustado em 2022 foi de R$534 milhões, 44% inferior ao ano anterior (R$953 milhões). A margem EBITDA Ajustado foi de 5,7%, ante 11,2% em 2021.


Já na comparação trimestral, a receita líquida no 4T22 totalizou R$ 2,2 bilhões, 16,2% inferior ao registrado nos três meses anteriores (R$ 2,6 bilhões).


O EBITDA Ajustado no 4T22 foi de R$ 50 milhões, 66,0% a menor na comparação ao 3T22 (R$ 148 milhões). A margem EBITDA Ajustado foi de 2,3% no 4T22 (3T22: 5,6%).


Usiminas no Índice de Sustentabilidade da B3


A Usiminas é a única empresa do setor Siderúrgico a integrar o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, em 2023.


O indicador é uma referência para os investidores no que diz respeito às boas práticas de ESG das companhias.


“A participação no ISE é resultado de um trabalho de longo prazo que a Usiminas vem realizando, na busca da harmonização das nossas operações ao cenário de uma agenda ESG cada dia mais exigente”, afirma Alberto Ono.


Como exemplos dessa evolução, o presidente destaca a criação da Política de Gerenciamento de Riscos, os avanços na agenda do Projeto Cadeia do Aço, visando engajamento dos Fornecedores e Clientes à pauta climática da Usiminas; a realização do Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa de acordo com norma ISO 14.064 e a participação no programa Carbon Disclosure Project (CDP).


Sobre a Usiminas


A Usiminas é líder no mercado brasileiro de aços planos e um dos maiores complexos siderúrgicos da América Latina. A companhia conta com unidades industriais e logísticas localizadas em seis estados do país e está presente em toda a cadeia siderúrgica – da extração do minério, passando pela produção de aço até sua transformação em produtos e bens de capital customizados. Possui o maior e mais inovador Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em siderurgia da América Latina. O avanço registrado pela siderúrgica nos últimos anos garante inovação, tecnologia e qualidade em todas as linhas de produção, e permite à empresa oferecer ao mercado um portfólio diversificado, com destaque para produtos e serviços de alto valor agregado.


Por sua gestão ambiental, a Usiminas foi a segunda siderúrgica do mundo certificada com a ISO14001. A companhia contribui ainda para o desenvolvimento das comunidades onde atua por meio do Instituto Usiminas e da Fundação São Francisco Xavier, oferecendo projetos nas áreas de saúde, educação, cultura, esporte e desenvolvimento social. É signatária de compromissos como o Pacto Global da ONU, a Plataforma WEPS e o Fórum Empresas e Direitos LGBTI+ e ainda da Coalizão Empresarial para Equidade Racial e de Gênero. As empresas Usiminas se destacam, ainda, como uma das maiores investidoras em cultura por meio das leis de incentivo em 2021, posicionando-se como a quinta maior incentivadora da cultura no país pela Lei Federal e a terceira em Minas Gerais, por meio da Lei Estadual. As ações da Usiminas são negociadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque (ADR nível I) e Madri.

Kommentare


  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
  • Facebook
  • Instagram
bottom of page